Mais de quinhentos delegados, entre inovadores e investidores, participaram recentemente na terceira cimeira anual do Seedstars Africa.

Trata-se do maior encontro de startups do continente e que tem como objectivo discutir sobre inovações tecnológicas e ideias de negócios.

Durante a cimeira, que teve lugar na cidade de Maputo, foram abordados problemas que os países africanos enfrentam, cujas soluções passam pela adopção de estratégias aplicáveis ao actual ambiente de inovação tecnológica.

Para Chuma Nwokocha, administrador delegado do Standard Bank, principal parceiro do Seedstars, a realização desta cimeira em Moçambique vai contribuir para a criação de um ecossistema empresarial sustentável no País, ao permitir que potenciais inovadores, empreendedores, bem como os já estabelecidos, tenham acesso aos recursos de que necessitam para materializar as suas ideias.

“O Seedstars afigura-se como uma excelente plataforma de exposição de ideias de negócios, com base tecnológica, concebidas por jovens moçambicanos, o que coloca o País como um produtor e não um mero consumidor”, considerou Chuma Nwokocha.

Para além do apoio à inovação tecnológica, através da parceria com o Seedstars, “o Standard Bank tem colaborado com as Pequenas e Médias Empresas, que constituem o veículo apropriado para o alcance do propósito do banco, que é o de impulsionar o crescimento inclusivo em Moçambique”.

A instalação da Incubadora de Negócios, a parceria com o Seedstars, a disponibilização de fundos de investimentos e a concepção de produtos e serviços direccionados foram apontados por Chuma Nwokocha como formas através das quais o Standard Bank impulsiona o empreendedorismo e inovação tecnológica.

Por seu turno, o director-geral do Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique, INCM, Américo Muchanga, que dirigiu a cerimónia de abertura do evento em representação do ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, instou, na ocasião, aos jovens inovadores a acrescentarem valor às infra-estruturas de tecnologias de informação e comunicação que o País possui para, por via disso, permitir que mais moçambicanos tenham acesso a serviços básicos, como saúde, educação, entre outros.

“As tecnologias de informação e comunicação, quando associadas à inovação, podem acrescentar valor em todas as áreas da sociedade e ampliar o alcance das infra-estruturas tradicionais de que dispomos em benefício das comunidades”, disse Américo Muchanga.

Sobre a cimeira do Seedstars Africa, o director-geral do INCM afirmou que a mesma vai, por um lado, permitir a interacção entre jovens inovadores de Moçambique e de outros países do continente e, por outro, a exposição das suas ideias a potenciais investidores.

Já o director de tecnologia da Seedstars, Luís Rodrigues, acredita que este evento vai trazer mais visibilidade ao ecossistema das startups de Moçambique, em particular, e do continente africano, no geral.

“Através das startups aqui presentes, provenientes de 17 países do continente, as pessoas, em particular os jovens, vão perceber que é possível criar. O mais importante é que se perceba que podemos fazer alguma coisa”, referiu Luís Rodrigues.

(RM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here