O Governo moçambicano está à procura de um potencial investidor, sobretudo com capacidade financeira suficiente para explorar o fosfato de Evate, no distrito de Monapo, província nortenha de Nampula.

Segundo o director do Serviço de Actividades Económicas de Monapo, Mendes Tomo, já houve alguns investidores do Brasil e Malawi interessados em explorar o fosfato de Evate, mas por questões de falta de mercado e capacidade de implementar um projecto de exploração mineira daquela dimensão as negociações goraram.

Os jazigos de fosfato de Monapo são os únicos contendo este tipo de minério à escala nacional.

Citado hoje pelo ‘Notícias’ de Maputo, Tomo precisa que foram já concluídas as pesquisas para aferição do nível de ocorrência do minério na zona, que compreenderam fundamentalmente a realização de actividades de natureza técnica, bem como ensaios laboratoriais, estudos de pré-viabilidade, licenciamento ambiental e consultas públicas.

‘Mesmo que tenham sido concluídos esses estudos do projecto, a exploração do fosfato ainda não começou, porque ainda não houve um grande investidor interessado e que seja capaz de corresponder à dimensão do projecto de exploração’, sublinhou. ‘Neste momento o Governo está à procura de um potencial investidor, sobretudo com capacidade financeira suficiente para explorar o fosfato de Evate. Os estudos constataram existirem enormes quantidades deste minério de grande valor naquela área’, explicou.

Segundo o jornal, a ser concretizado, o projecto de fosfato de Evate terá uma capacidade instalada para a produção de 42 milhões de toneladas e calcula-se que durante a exploração plena a mina vai criar pouco mais de 800 postos de trabalho permanentes.

(AIM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here