A multinacional italiana Eni e os seus parceiros da Área 4 anunciam a conclusão, com sucesso, do processo de financiamento múltiplo do Projecto de Liquefação de Gás (FLNG) de ‘Coral Sul’, na Bacia do Rovuma, na província moçambicana de Cabo Delgado, num montante total de 4 675 500 000 dólares norte-americanos.

Segundo comunicado da ENI a que o “O País” teve acesso, o valor foi assegurado pelas seguintes instituições: BPI Export Credit Agency Covered Loan; KEXIM Export Credit Agency Covered Loan; Ksure Export Credit Agency Covered Loan; Sace Export Credit Agency Covered Loan; Sinosure Export Credit Agency Covered Loan; Commercial Bank Direct Loan; KEXIM Direct Loan.

O FLNG de “Coral Sul” é o primeiro projecto aprovado pelos Parceiros da Área 4 para o desenvolvimento dos consideráveis recursos de gás descobertos por este consórcio na Bacia do Rovuma, em offshore.

O anúncio do financiamento é um passo fundamental para o avanço do projecto, cujo calendário aponta para o início da exportação do gás moçambicanos aos mercados internacionais dentro de cinco anos, abrindo nova página na história da economia nacional, quando o país passar a ser um dos três grandes produtores de gás a nível mundial.

Tem como objectivo a produção e a monetização do gás contido na parte sul do reservatório de Coral, através de uma planta flutuante de GNL com capacidade de 3,4 MTPA (milhões de toneladas por ano).

Em 2016 a ENI, juntamente com as outras concessionárias da Área 4, assinaram com BP um contrato de venda de 100 por cento da sua produção.

ENI é operadora da Área 4, com um interesse participativo indirecto de 50 por cento, através da sua participação na Eni East Africa (EEA). Em Março de 2017, Eni e ExxonMobil assinaram um Contrato de Compra e Venda para permitir que ExxonMobil adquira um interesse participativo indirecto de 25 por cento na Área 4. Após a conclusão da transacção, Eni irá deter um interesse participativo indirecto de 25 por cento. Os restantes interesses na Área 4 são detidos pelo CNODC (20 por cento), Empresa Nacional de Hidrocarbonetos E.P. (ENH, 10 por cento), Kogas (10 por cento) e Galp Energia (10 por cento).

(AIM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here