O Contador-Geral da Contadoria de Contas e Auditorias, CCA, do Tribunal Administrativo de Moçambique, Jeremias Zuande, foi eleito para o cargo de Presidente do Comité de Auditoria da SADC, que vinha sendo exercido pelo Auditor Geral do Malawi, que terminou o seu mandato em Agosto passado.

A eleição de Zuande para o cargo de presidente de um dos órgãos mais importantes da SADC aconteceu no início da 21ª Reunião Ordinária do Comité de Auditoria, que teve lugar em Gaberone, Botswana, de 20 a 22 de Novembro último.
“A eleição do quadro sénior do Tribunal Administrativo acontece depois de a instituição ter estado envolvida para verificar e analisar a utilização dos fundos que os países membros e doadores da SADC contribuem”, refere um comunicado de imprensa do TA.

Reagindo a essa eleição, Zuande disse que a adopção, pelo Tribunal Administrativo, de boas práticas em auditorias, que consistem na utilização de normas internacionalmente aceites, credibilizam o trabalho que tem sido levado a cabo pela instituição, “facto que tornou possível o envolvimento de quadros deste tribunal, em equipas constituídas por peritos dos Estados-membros sobre estas matérias”.
Após a sua eleição, coube ao novo Presidente dar início aos trabalhos dirigindo a 21ª Reunião Ordinária do Comité de Auditoria e elaborar o documento a ser apresentado no encontro com o órgão máximo da SADC constituído pelos Ministros dos Negócios Estrangeiros dos países-membros, a ter lugar no próximo ano.
O Comité de Auditoria é um órgão que se equipara a um Conselho Fiscal e que zela pela saúde e funcionamento do Secretariado da Comunidade, fazendo a ponte entre este órgão gestor de recursos e o Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros.
Para além de presidir o Comité de Auditoria da SADC, Moçambique é vice-presidente da Organização Africana das Instituições Supremas de Controlo de expressão inglesa (AFROSAI-E), órgão que tem como objectivo promover o desenvolvimento estratégico e profissional dos seus membros, bem como fortalecer a cooperação entre os mesmos, visando a harmonização dos padrões de auditoria ao sector público. É, também, membro do Conselho Directivo da Organização Internacional das Instituições Supremas de Controlo (AFROSAI), criada em 1976, com o objectivo de promover os objectivos da Organização Internacional das Instituições Supremas de Auditoria (INTOSAI), que conta com 194 membros.

(RM-TA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here