O chefe do governo da união nacional da Líbia, Fayez al-Sarraj, pediu esta sexta-feira aos Estados Unidos que levantem o embargo de armas imposto ao seu país desde de 2011 pela ONU.

No início de uma reunião no Pentágono, com o ministro da Defesa norte-americano, Jim Mattis, Fayez al-Sarraj defendeu que a Líbia enfrenta muitos desafios ao nível do extremismo e do terrorismo.

“Existe outro desafio que enfrentamos, a falta de capacidade e de meios, bem como o embargo de armas”, frisou, referindo-se ao embargo imposto em 2011 pela ONU na sequência da revolta que levou à queda do regime de Muammar Gaddafi.

Fayez al-Sarraj espera que o embargo seja “parcialmente levantado”, pelo menos em certos ramos do exército, como a guarda presidencial e a guarda costeira.

As autoridades líbias reclamam sobre a falta de meios para lidar com os fluxos migratórios, mas o governo de Fayez al-Sarraj não controla todo o território na Líbia.

O homem forte do leste da Líbia, Khalifa Haftar, desafia a autoridade do governo da união nacional de Tripoli e apresenta-se como um interlocutor para resolver os problemas na Líbia.

Khalifa Haftar solicitou à Europa helicópteros e drones para monitorizar a fronteira sul do país e lutar contra a imigração.

De acordo com um relatório das Nações Unidas divulgado em Junho, os Emirados Árabes Unidos romperam o embargo, fornecendo helicópteros de combate e aeronaves militares às forças do Khalifa Haftar.

(RM-NM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here