Os Estados Unidos são reportados como tendo questionado a inclusão de membros da família Mugabe na delegação que ele leva à cimeira da ONU, marcada para próxima semana.

Segundo o jornal Business Africa, embora a cimeira se realize entre 19 e 23 de Setembro, Mugabe e sua delegação partem no dia 16.

O documento cita fontes diplomáticas esta semana como tendo dito que a embaixada dos Estados Unidos no Zimbabwe questionou a inclusão de membros da família de Mugabe, nomeadamente a primeira-dama, Grace Mugabe, a filha deles, Bona, e neto Sibanashe. A delegação também inclui o filho de Mugabe, Bellarmine Chatunga, bem como o filho mais velho de Grace, Russel Goreraza.

“Os passaportes foram submetidos semana passada com pedidos de visto à embaixada dos estados Unidos, mas funcionários questionaram o elevado número de delegados e recusaram o visto a um dos jornalistas de um órgão estatal,” disse uma fonte. “A delegação de Mugabe vai estar fora do país por 10 dias e o governo dá a cada membro um per diem de 1.500 dólares americanos.”

Uma reportagem do jornal NewsDay disse que partidos da oposição e grupos da sociedade civil exprimiram a sua indignação sobre a viagem de Mugabe com a sua delegação que vai custar mais de 10 milhões de dólares americanos em subsídios, numa altura em que o país enfrenta uma severa escassez de dinheiro.

“Isto vai apenas mostrar que o Zimbabwe está agora reduzido a um feudo da família Mugabe. Agora nós somos, de facto, uma companhia Limitada (privada) de Mugabe. O Estado foi capturado pela família Mugabe. Robert Mugabe é o Director Executivo, e a sua esposa, Grace, Directora Operacional. Isto é uma tragédia de monumentais proporções. Chora Pátria Amada,” disse o porta-voz do Movimento para Mudança Democrática (MDC), Obert Gutu.

Um outro grupo do MDC, liderado por Welshaman Ncube, disse que isto era uma excursão pelo mundo, disfarçada de compromissos internacionais.

“É coisa de parar o coração saber que na viagem de 10 dias cada membro da delegação vai embolsar 15.000 dólares – numa altura em que as pessoas dormem nas bichas dos bancos, e passam meses sem salário.”

O MDC diz que os Mugabes, que foram banidos de viajar para os Estados Unidos, estavam a usar esta viagem para negócios pessoais.

Mais de 150 líderes mundiais deverão tomar parte na Cimeira da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável na sede da organização em Nova Iorque para, formalmente, adoptar uma nova e ambiciosa agenda para desenvolvimento sustentável.

Esta agenda vai servir de rampa de lançamento para acção pela comunidade internacional e pelos governos para promover partilha de prosperidade e bem-estar para todos os próximos 15 anos.

Mugabe deverá usar da palavra perante os líderes a 21 de Setembro.

(Africanews)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here