O governo tanzaniano anunciou, fim-de-semana, a apreensão de diamantes avaliados em cerca de 29,5 milhões de dólares, acusando a companhia mineira britânica Petra Diamonds, de subfacturação.

O Ministro das Finanças, Philip Mpango, declarou, domingo, que os diamantes foram “nacionalizados”.

Segundo a fonte, os diamantes foram extraídos da mina Williamson Diamonds, onde a companhia britânica Petra Diamonds detêm 75 por cento das e o governo tanzaniano os restantes 25 por cento.

A apreensão ocorreu a no dia 23 de Agosto último, no Aeroporto Internacional de Dar-es-Salam, quando estavam prestes para serem ser exportados para a Bélgica.

Os documentos da Williamson Diamonds declararam o valor dos diamantes como sendo de 14,7 milhões de dólares norte-americanos, enquanto na verdade situam-se na ordem de 29.5 milhões dólares.

Na semana passada, dois antigos altos funcionários do sector de mineração, que aparecem citados no relatório parlamentar tanzaniano de alegada corrupção, em conexão com a mineração e negócio de diamantes, demitiram-se depois que o Presidente da Tanzânia, John Magufuli, emitiu uma ordem nesse sentido.

Trata-se do antigo Ministro das Minas, George Simbachawene, que até à altura da sua demissão ocupava o cargo de Ministro de Estado para o Governo Local, e ex-chefe da Companhia Nacional de Mineração da Tanzania (STAMICO) e Edwin Ngonyani, vice-Ministro das Obras Públicas e Transportes.

Os dois ministros demitiram-se sob as ordens do Presidente Magufuli, após os mesmos terem sido citados no relatório parlamentar.

Sob alcunha de “Tingatinga” (que significa “bulldozer” em Swahili), o Chefe do Estado tanzaniano embarcou numa campanha contra a corrupção, desde que ascendeu ao poder em finais de 2015.

(AFRICA NEWS)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here